Fernando Goldenstein e Leonardo Andrade

“Hoje, o uso intensivo da fermentação é uma forma de ativismo político, que se opõe à normatização pasteurizadora que se tornou costume e regra, preconizando a adição sistemática de conservantes químicos a cada item de consumo. A industrialização em massa da alimentação não apenas aliena, como também infantiliza, porque nos entrega produtos sempre conhecidos, sempre óbvios e é desastrosa para a qualidade de vida da população mundial, que se encontra vê cada vez mais homogeneizada, abandonando a riqueza de variados patrimônios culturais, lidando com menos e mais pobres opções de produtos, em detrimento de variadas técnicas, culturas e costumes.

A Companhia não quer ser apenas uma marca bonitinha com palavras estimulantes. Trabalhar constantemente com a ajuda de outros seres vivos nos faz lembrar constantemente que estamos ligados com todo o mundo, e que a vida na terra está ligada por uma cadeia de relações intrincadas que são frágeis, e que não estão sendo, em grande parte das vezes, respeitadas . Trazemos aqui produtos locais, produzidos artesanalmente, mesclando tradição e ciência, com técnicas seguras e promissoras. Trazemos para você opção da escolha.”

 

Escrito por Fernando Goldenstein e Leonardo Andrade

Luisa Abram

  • Nossa Filosofia

O cacau que usamos é o cacau selvagem da Floresta Amazônica. Aquele que está onde a natureza o fez surgir, crescendo à sombra de outras árvores centenárias.

Aqui, quem está no comando é a Mãe Natureza. Dessa forma, as características dos frutos podem mudar de um ano para o outro, e isso se reflete nas safras do nosso chocolate.

Estamos constantemente buscando ocorrências de cacau selvagem na Floresta Amazônica ao longo dos seus diversos rios. Queremos mostrar ao mundo a alta qualidade do chocolate que esse cacau da Floresta nos dá.

Criamos parcerias com as comunidades ribeirinhas que são incentivadas a cuidar e preservar os pés nativos de cacau, bem como as árvores nos seus entornos. Oportunidades de trabalho e novas fontes de renda são criadas para homens e mulheres, melhorando a qualidade de vida dessas populações.

  • O Chocolate

O chocolate Luisa Abram é feito com cacau selvagem da Floresta Amazônica. Aquele que está onde a natureza o fez surgir, crescendo à sombra de outras árvores centenárias. Esse cacau não é plantado ou cultivado de forma planejada pela atuação do homem. Ele é fruto da ação da Natureza. Nós procuramos ocorrências desse cacau nas várzeas dos rios próximos de comunidades ribeirinhas. Estamos sempre em busca de novos pontos de onde esse cacau possa ser extraído, fermentado, seco e transportado até nossa fábrica, em São Paulo.

Escrito pela equipe Luisa Abram

Gabriela Pinheiro, Carolina Caldeira, Marília Caminha

“E se a gente fizesse vinho?” – sim, foi com essa proposta um tanto quanto indecente que tudo começou. E 9 dias depois surgia o #doclapa, onde experimentamos criar vinhos urbanos e selvagens. Tudo muito manual, roots, insano e divertido.
Muitos litros depois dessa pergunta, seguimos com sede de aprender, produzir e criar.

Escrito pelas meninas da Libertinagem Vinho

Guilherme Alves

“Sou sociólogo de formação. Comecei a me enveredar pelos caminhos da vinificação em 2016 por valorizar produtos artesanais, por me sensibilizar com o resgate dos saberes tradicionais e ser apaixonado por vinho. Entendo que a importância do trabalho artesanal está em produzir alimentos autênticos, sinceros e repletos de qualidade, além de aproximar o produtor do seu consumidor final.”

Escrito por Guilherme Alves

 

  • Agricultura: convencional
  • Vinhedos próprios: não
  • Qtd. de garrafas produzidas: depende do rótulo, varia entre 250 a 450 garrafas
  • Vinificação: natural